Gestão de condomínio

E quando os condóminos não aparecem nas assembleias?

Condóminos que nunca marcam presença, nem se fazem representar, nas assembleias de condomínio são um episódio comum nestas reuniões. A Odecasa esclarece o procedimento a ter quando confrontado com esta situação.

Podem ser vários os motivos que impedem um condómino de estar presente nas assembleias do condomínio, mas, dada a frequência com que estes casos acontecem, a lei já prevê alguma fórmulas para contornar a situação e evitar o prolongamento de decisões importantes e urgentes.

 

Quantos são precisos para aprovação de propostas?

Decisões que não requerem unanimidade implicam a presença de, apenas, um quarto do total das frações.

Sempre que não existir um número mínimo de condóminos presente, e não tiver sido fixada outra data na primeira convocatória enviada, deve fazer-se uma segunda convocatória.

Na segunda reunião, as decisões já podem ser aprovadas por maioria dos votos presentes – desde que os condóminos presentes somem, pelo menos, um quarto do valor do imóvel.

Quando as propostas a discutir em assembleia exigem unanimidade de decisão, a aprovação só pode acontecer quando os condóminos presentes em reunião representam, no mínimo, dois terços do valor total do prédio.

Mais tarde, será necessária a aprovação por parte dos ausentes:  o administrador tem 3o dias para comunicar a ata da assembleia, através de carta registada com aviso de receção. Após receção da mesma, os condóminos ausentes têm 90 dias para comunicar, por escrito, se concordam ou não, sendo a ausência de resposta considerada como aprovação.

 

Gerir condomínios, e os respetivos condóminos e obrigações, pode ser uma tarefa difícil.
Se precisa de ajuda na administração do seu condomínio, contacte a Odecasa: temos uma equipa experiente disponível para esclarecer todas as dúvidas
Outros temas:
Condómino em casaViver em Lisboa